2008/07/11

Ou então

Deve ser do dia. Quero que seja só do dia. Esta angústia deve resultar deste tempo abafado, deste tecto de nuvens indecisas, de um cinza-esbranquiçado, aqui tão perto que só deixa ver o azul em rasgões pontuais, lá do outro lado do rio.
Ou então.
Eu sei que não é o tempo. E desta vez não é a saudade. Nem tu. Nem a tua ausência. É o ter chegado ao limite e saber que, ao rebentar, vou levar tudo à frente. Até o que não quero. E isso não.
E então.
Tu aqui, ao meu lado. Sem estares, mas estando.
— Calma. Não faças nada. Eu estou aqui.
E eu saber que não deixas que o faça, apenas porque eu não faço por tu achares que não devo. E tu é que sabes. Eu sei.

Foto daqui

5 comentários:

Fevereiro disse...

Rosmaninho,
Por acaso não sinto o que descreves há muito tempo, aliás há tanto tempo que já nem me lembro o que é sentir essa angústia. Penso que as opções que entretanto tomei, depois de ter deixado de sentir essa angústia, há tantos anos, foram mais racionais e talvez por isso nunca mais senti esse desespero, ou grande mágoa, por causa de alguém. Não é que eu queira voltar a sentir essa angústia, mas gostava de voltar a sentir que valeria a pena eu sentir-me angustiada. Percebeste ?
Beijinho.

Rosmaninho disse...

Fevereiro,
esta angústia que senti hoje é, porventura, diferente daquela que terás sentido. Estão a exigir-me que tome partido numa questão que não me diz respeito, a agredir amigos meus com palavras e a querer que eu sofra um mal que não é meu. E aquele ombro de que precisava agora, mais do que nunca, para conseguir dizer o "basta", ou evitar que eu o diga, não está comigo.

Summer disse...

Sugadinha, hum ? Sugadinha :D E podes ficar descansada, linda os teus amigos tão todos optimos agora ke tb eu tou... sugadinha, hehehehe

(é aki ke as vidas se cruzam ? :D )

Rosmaninho disse...

Sossegada, sim, porque em primeiro lugar tenho que ser fiel a mim própria e aos meus princípios.

Anónimo disse...

Depois de ler isso só posso dizer que lamento muito, e doi, ter-te perdido...