2006/07/04

Somos o que pensamos

Um tomate é um tomate é um tomate. Sopa de tomate, salada de tomate, sumo de tomate são, e serão sempre aquilo que são e nada mais: alimentos preparados com tomate. Fruta é fruta, ovos são ovos, e todas as palavras que usamos com um segundo sentido serão, sempre, aquilo que são. Ou o que quisermos que sejam.

Num post abaixo, uma frase de Oscar Wilde resume, em si, o que quero dizer (e também um pouco o motivo dos posts que precedem este):

“É também no cérebro, e apenas neste, que ocorrem os grandes pecados do mundo.”

Elisa, voltei.

4 comentários:

BlahBlahBlah disse...

Pois. Porque há ainda a juntar ao léxico [e ainda no campo das frutas e verduras]: os bananas, os pessêgos, os frescos como alfaces, os maduros como um marajucá, os repolhos ambulantes, os abéculas, ...........

Elisa disse...

abéculas? Isso é tubérculo?
Beijos

BlahBlahBlah disse...

Sei lá, se calhar até é jargão ou um neologismo qualquer. Abemolemos a coisa para "os homens são todos iguais!" e pronto. Esta já eles estão todos habituados a ouvir :)


PS: "Que os homens são um diabo não há mulher que o negue mas quase todas elas querem um diabo que a carregue". ...

Framboise disse...

Mais tarde, em 'De Profundis', Oscar Wilde refere que não são só os pecados: que tudo que passa no cérebro.


(ah, sim. eu sou a rapariga do Brisa Irreverente)