2006/10/13

Argumento

O Sr. Ministro da Saúde argumentou que, se as pessoas pagam €3,20 por um maço de tabaco (marca branca, evidentemente) ou €5,00 por um bilhete de cinema, quando têm, por exemplo, um ordenado de €600, também podem perfeitamente pagar €5 pela diária num hospital, o que evidentemente resulta de uma opção perfeitamente consciente.

— Olha, prá semana, para além de estar de baixa a receber só 65% do ordenado, vou passar umas férias a cirurgia em Santa Maria. Tem um não sei quê de hospital de campanha num país africano. E só se pagam €5,00 por dia, com pensão completa e vista para o jardim.
— Eh pá, que fixe! Também posso ir?
— Podes, só tens que arranjar uma doença das graves. E o melhor de tudo é que se conseguires estar mais de 14 dias, eles têm uma promoção do caraças: não pagas nada.

O pagamento até poderá ser compreensível, em certas circunstâncias, mas o argumento, Sr. Ministro, que coisa. Experimente lá reduzir o seu ordenado para €600 por mês e veja quantos filmes pode ver por mês ou quantos maços de tabaco pode comprar (se deixar de almoçar, de pagar a renda e for a pé para o trabalho)…

1 comentário:

Bic Laranja disse...

São falaciosos todos os argumentos sobre este assunto. Quem ganha mais, desconta sempre mais dinheiro. Portanto já paga mais. € 5,00 por cabeça vem igualar o pagamento entre todos. E não me digam que há uns (pobres) que não pagam, que então lhe direi: ninguém haverá de pagar, pois se o pagamento é só para os que têm posses, sabemos que esses hão-de ser internados fora do S.N.S. e diluirão o preço nos seguros. São os pobres que vão pagar, pois. Cumpts.