2006/09/11

O mundo sem blur

E, subitamente, a lua deixou de ter um permanente halo enevoado à volta. Aliás, o mundo inteiro mudou de um local de contornos visíveis, mas indefinidos, para um sítio em que tudo está perfeitamente delineado contra o fundo em que se insere. A minha recente miopia, para além de me obrigar a usar óculos, deu-me o prazer de ver o mundo com outros olhos. Absolutamente sem blur.

2 comentários:

Elisa disse...

Sendo eu cegueta como uma toupeira desde os 15 anos... compreendo-te perfeitamente. Quando coloquei os óculos pela primeira vez foi como se... visse tudo tão claro que até fazia impressão. Ficas gira de óculos, aposto.
Beijo

Yama disse...

e as flores.
As folhas ao longe tão perfeitas.

Agora só vejo em blur a partir do 6º gin.
Onde todas as caras estão demasiado longe, enovoadas e iguais.
Ou demasiado perto e disformes.