2006/06/22

Faz-me um favor

Agora que já sei que nunca seremos mais do que amigos distantes, faz-me um favor: arma-te em sacana insensível, trai-me, mente-me, sê o pior crápula que conseguires ser, faz tudo para me ferires de morte, ignora-me, não me ligues, finge que nunca me conheceste e que nada se passou do que se passou. Faz isso tudo para eu conseguir esquecer-te de uma vez, para te despejar no canto dos indesejáveis, para eu querer desejar-te a morte ou, antes, um destino muito infeliz. Faz com que eu consiga dizer que te odeio, que tenha vontade de te insultar, de denegrir tudo o que és, de arruinar a tua vida por vingança. Vá, faz isso por mim, e deixa de ser a pessoa mais incrível, carinhosa, compreensiva, adulta, estável, sonhadora e divertida que conheci nos últimos tempos. Faz isso, ou não vou conseguir tirar-te de mim.

10 comentários:

boleia disse...

pode ser que corra bem... Se estiveres melhor assim, vai correr de certeza!

LiZZie disse...

mau...

BlahBlahBlah disse...

pois, mau...

Uxka disse...

Já vi muitas para dizer, sem medo de errar, que é a declaração de amor mais bonita que já li. Quem dera que não te fizesse sofrer.

Rosmaninho disse...

E não faz, môri, não faz. A pessoa em questão soube pôr termo a isto sem me magoar, e este foi apenas e só um arroubo de paixão para recordar com muito carinho. Ao contrário do que possam pensar, estou feliz por ainda haver pessoas assim.

S. disse...

Detesto quando dizem "amigos"... porra, nós nem nos conhecemos tão bem assim.
Podiam dizer "darmo-nos bem", "manter em contacto", sei lá... mas "amigos" é que não. Pelo menos, não tão cedo.

Rosmaninho... NEXT!!

Paulo Sousa disse...

Não gostamos da mentira mas fugimos
cuidadosamente á verdade, a inscrição de alguém em nós passa também por isso, recorda o melhor,
guarda o resto...

Romanticida disse...

Mesmo que ele fizesse isso, continuarias a amá-lo...

Houdinni disse...

Bom post!
Era tão bom se sempre que assim o quisesemos as pessoas genuinamente nos ajudassem a po-las fora da nossa vida...
Só uma ajudinha quando da outra maneira doi demais...

Ângela disse...

Como eu te compreendo... :-)
O texto está mágnifico... parabéns!