2006/04/03

1-1

Empate. Este fim-de-semana, sofri um golo, ou seja, resolvi descartar de vez da minha vida alguém que fez parte dela durante quase um ano. Foi uma baixa numa batalha que durava há meses. Eu que sim, ele que não, que não valia a pena. E eu sem acreditar. Não gosto de desistir à primeira, é contra tudo o que sou, deitar pessoas foras não é comigo. Ou não era, porque estou finalmente a compreender que tenho que levar menos tempo a perceber que não me merecem e que tenho que perdoar menos. Tudo o que senti por essa pessoa se foi num silêncio em resposta a um desesperado pedido de ajuda. Sob pena de parecer repetitiva, continuo a achar que um amigo não nos ignora, antes fica atento aos mais pequenos sinais. Por isso, adeus, J.

Sem que nada tivesse que ver com isto, mais uma vez este fim-de-semana percebi quais são as pessoas (neste caso, uma pessoa) com quem podemos contar. Sabe bem, poder ligar a alguém e dizer "vou aí", nem que seja para ficarmos as duas deitadas num sofá a tentar não adormecer enquanto vemos um filme de muito pouca qualidade. Serve, pelo menos, para distrair os olhos enquanto falamos de tudo e mais alguma coisa, de amores, desamores, experiências, aventuras passadas. Sabe bem falar, ter com quem falar. Obrigada, Bé, mais uma vez. Estás sempre lá. E eu aqui.

A vida é assim. Perde-se um, mas guarda-se outro. E já só faltam 24 dias.

1 comentário:

McClaymore disse...

Obrigado. Está publicado!
Beijinhos.