2006/03/31

Já passaram mais 24 horas

Nem pareceu. Eles passam cada vez mais depressa. Não dou por eles, no meio deste não acontecer nada de novo. Sai-se de casa, faz-se o mesmo caminho de sempre, tão de sempre que já nem se repara nos sítios por onde se passa, entra-se a porta, diz-se bom dia à Manela, vai-se à máquina do café tirar o curto de sempre e sobe-se. Depois, é trabalho para cá, trabalho para lá, dois dedos de conversa aqui, almoço, a tarde igual à manhã, e sai-se. De novo, o regresso, à tarde às vezes pelo Monsanto, que aquele verde todo faz bem e foge-se ao trânsito. Chegar a casa, jantar, ver televisão e vir para aqui deixar umas letras espalhadas num fundo escuro. Hoje ainda houve uns desvios necessários, que cortaram ainda o tempo ainda mais ao meio, e um telefonema que trouxe alguma luz, mas de resto, foi a rotina. Tenho que a expulsar da minha vida, ai tenho tenho. E já só faltam 27 dias.

1 comentário:

McClaymore disse...

Olá, minha amiga, sempre bonito o que escreves. Lembraste de um texto que serviu para trocarmos umas palavras? Ele está publicado em http://menphysto.blogs.sapo.pt/ , preciso que me envies o original para publicar lá. E convido-te a continuares a escrever. Já enviei uns quantos convites...
Beijos